Caixa Econômica Federal volta a aumentar juro do financiamento imobiliário

SÃO PAULO – A Caixa Econômica Federal informou nesta quinta-feira que aumentou pela segunda vez no ano a taxa de juros no financiamento de imóveis residenciais contratados com recursos da poupança .

SÃO PAULO – O Banco do Brasil anunciou nesta quinta-feira a elevação de suas taxas de juros do financiamento imobiliário e o aumento do prazo máximo dos financiamento para 35 anos.SÃO PAULO – A Caixa Econômica Federal informou nesta segunda-feira que subiu as taxas de juros do financiamento imobiliário desde a quinta-feira passada. A ampliação atingiu o crédito para compra de imóveis residenciais e comerciais com recursos da caderneta de poupança.

A mudança entrou em forcita na última segunda-feira, declarou o banco estatal à Reuters.

Reuters AFI:[ˈrɔɪtərz] é uma agência de notícias britânica com sede em Londres. Uma agência de notícias britânica é a maior agência internacional de notícias do mundo.

A taxa balcão, para clientes sem relacionamento com a Caixa, subiu de 9,15 para 9,45 por cento ao ano, refletindo a ampliação da taxa Selic em 0,5 ponto percentual em março.

Além da taxa de juros, outra mudança expressiva é a diminuição da cota máxima de financiamento, de 90 para 80 por cento do valor do imóvel nos financiamentos no sistema de amortização constante e 50 por cento pela tabela Price.

Para correntistas da Caixa e servidores públicos, as novas taxas sobem de uma faixa de 8,80 a 9,30 por cento para 9,30 a 9,80 por cento ao ano. O SFH engloba imóveis avaliados na faixa que vai até 650 mil a 750 mil reais, dependendo da cidade.

Os financiamentos contratados no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida não padecem reajuste na taxa de juros.

A partir de 1º de outubro, a taxa efetiva total cobrada de não clientes da Caixa para compra de imóveis pelo Sistema Financeiro Habitacional passa de 9,45 para 9,90 por cento ao ano.

A taxa Selic está atualmente em 12,75 por cento ano.