Mudei de apartamento e quero um cachorro, como escolher?

Imaginemos que você já esteja no seu apartamento recém-comprado. A fase final de decoração realmente chegou aos finalmente. Os móveis estão dispostos aonde você queria. A televisão está bem posicionada. A cor verde-limão da parede ficou daquele jeito. Só falta uma coisa. Uma companhia. Não humana, canina. Veja cinco dicas para iniciar a sua procura com o pé direito.

1 – Tem alergia a pelos de cachorro?

Pode ser um pouco de preocupação excessiva, mas é importante saber se você tem alergia a cachorro. Imagine que você descubra estar com dificuldade respiratória, irritação ocular, rinite, sinusite, entre outros sintomas, porque não sabia desta limitação? Consulte seu médico e peça uma avaliação alérgica. Bom para você e para seu animal de estimação.

2 – Odor desagradável

Você é uma pessoa que se sente incomodada com o cheiro de cachorro? Há raças que acumulam sujeiras, bactérias e fungos em suas pequenas dobras, como os pugs, que misturadas com sujeiras exalam um odor meio desagradável. Nada como uma boa chuveirada e sacagem não resolvam o problema. Desde que você não sinta desgosto por aquele cheiro tão específico.

3 – Amplitude do apartamento

O seu apartamento tem quantos metros quadrados? Pode abrigar seu animal de estimação com conforto e não incomodar os vizinhos do piso abaixo? Cachorros grandes em espaços pequenos os deixam estressados, que precisam de espaço para brincar e gastar energia. Se a sua casa não for um palacete, invista em raças que não dependem de tanto espaço para ficarem bem.

4- Sua agenda está livre?

Tenha como um mantra: cachorro gosta de brincar e passear. Não importa se você chegou em casa depois de uma extenuante reunião de 6 horas sobre números, gráficos e pizzas. Dependendo da raça escolhida, você precisará passear com seu novo amigo umas duas ou três vezes por dia. Caso contrário, ele ficará estressado e passará a sofrer por não liberar esta energia.

5 – Como funcionam as regras internas do condomínio?

Ha uma lei que protege o direito de ter animais domésticos. De forma resumida, a Lei 45591/64, artigo 19, permite ao condômino usar e usufruir sua unidade autônoma com exclusividade, segundo suas conveniências e interesses. Não é exatamente uma lei direta sobre o assunto, mas uma interpretação. Procure saber como funcionam as regras do seu prédio. Tente adquirir uma raça que não seja muito barulhenta ou escandalosa. Isto pode significar problemas com vizinhos.

E é apenas o começo. Há dezenas de raças com mais facilidade para se adaptarem a apartamentos que outras. Se você está disposto a aumentar sua família, procure levar em consideração estes pontos listados e outros que poderão ser descobertos com famílias que já tiverem ou ainda tem a experiência de ter um cachorro no apartamento.

Veja também fotos áreas sensacionas de São Paulo!