Como escolher o bairro certo para morar?

Escolher um imóvel não é tarefa simples. Nem tanto pelo próprio imóvel, pensando em “parede, teto e piso”, mas muito mais complexo quando se imagina “onde” este apartamento ou casa estará. Qual bairro, que tipo de rua, que tipo de vizinhança, como essa ou aquela opção afetaria minha rotina e dos meus filhos?

Vou ajudar você a pensar sobre quais fatores podem influenciar mais em sua rotina e como definir critérios para escolher. Vamos lá?

 

familia

Que tipo de família é a sua?

Você pode morar sozinho e somente sua rotina e planos futuros vão influenciar na decisão.  Mas pode ser casado e sem filhos, então são duas rotinas a considerar. Ou ainda casado com filhos, solteiro com filhos, etc. Tudo isto deve ser ponderado para não pensar “em que lugar fui me meter?” depois. Ainda tem mais um ponto: tem bicho de estimação?

 

A rotina de cada um

Para ser uma escolha mais democrática e que a localização não se torne um peso na rotina de um ou mais moradores do imóvel, tente pensar no deslocamento diário que será feito por cada um.

Primeiro veja no Google Maps ou Waze, por exemplo, quais seriam os trajetos possíveis para ir para o trabalho, escola, curso, creche, etc. Aí terão uma média de tempo e saberão a que horas deveriam começar a sair. Então já poderiam imaginar o volume do trânsito da região e próximo ao destino – e no meio do caminho.

Claro que não será possível encontrar o local ideal para todos – quanto maior a família, mais difícil fica de encontrar um equilíbrio exato, mas assim é a vida, afinal… Mas não se deve deixar de ter essa avaliação.

 

destino-rotina

Precisa morar perto de quê?

Já pensando na rotina mais comum ou de lazer, tenha em mente o que necessita ter por perto de você para que possa lhe fazer bem. Por exemplo, se existem idosos ou pessoas com problemas crônicos de saúde pode ser necessário estar razoavelmente próximo de um hospital, clínica ou farmácias.

Se gosta de fazer uma caminhada no parque ou levar seu cachorro para passear, é legal considerar as praças e parques que existem na região. Se a família é grande, talvez você vá constantemente no mercado e seria bom ter um por perto – e com preço baixo, rsrsrs.

 

cidade

Agito ou tranquilidade?

Existem bairros residenciais, comerciais e mistos. Cada um destes impõem um tipo de rotina diferente. Obviamente os bairros comerciais fazem aumentar o fluxo de veículos e pessoas nas ruas, enquanto os residenciais possuem uma calmaria própria.

Outro ponto a observar é se a região é mais horizontal ou vertical. Neste caso, um bairro mais horizontal, com casas, sobrados e pequenos edifícios podem dar uma sensação de acolhimento, de ser mais familiar. Enquanto os bairros verticais, com torres e mais torres, possuem um ritmo diferente, muito mais urbano.

Ser mais vertical e horizontal também exerce influência sobre o fluxo de carros nos períodos de pico – porque às 7h30min de cada dia as pessoas estão saindo de casa e por volta das 19h30min voltando – e em bairros com muitos prédios altos com muitas unidades indicam que muuuuitas pessoas vivem ali. Talvez em um prédio tenha mais pessoas morando do que em um bairro residencial de casas.

 

Respire fundo e escolha conscientemente

Agora que você já imagina o que deve considerar para escolher o local onde estará o seu novo lar, é hora de começar a colocar isso na ponta do lápis. Reúna a família na sala e conversem sobre essa mudança, sobre o que gostariam de ter por perto e se conhecem outras regiões da sua cidade, quais gostariam de morar e por qual motivo.

É um exercício, seja sozinho ou com esposa/marido e filhos. Lembre-se de que essa é uma decisão importante e não são poucos milhares de reais envolvidos nessa compra.

Respire fundo e faça deste um momento de união e planejamento.