Comprar imóvel com ou sem corretor de imóveis?

Muita gente tem a tentação de economizar e comprar direto com o proprietário. Pode ser uma economia mesmo, mas pode também ser um desgaste tremendo caso qualquer impedimento seu, do imóvel ou do vendedor venha a anular o contrato de compra e venda. Recentemente, um morador de Uberaba foi condenado a pagar mais de R$65 mil por conta de uma venda mal sucedida que não teve um corretor de imóveis intermediando.

Toda a negociação foi realizada por WhatsApp, mas isto não é impedimento apesar de ser um tanto heterodoxo comprar um imóvel assim. Foram enviadas documentações, todas as propostas e o aceite final foi feito pelo aplicativo de mensagens. Até mesmo recibo do depósito no valor de R$ 50 mil foi enviado e teve a confirmação do vendedor.

Até aí tudo bem.

comrpar-direto-do-proprietario

O problema é que o vendedor não lavrou a escritura em nome do comprador. Isto gerou um processo contra o vendedor, o qual foi condenado a devolver o valor depositado e a pagar mais de R$ 15 mil de danos materiais. Mais detalhes sobre o caso você encontra no site da Época Negócios.

Quando falamos que o corretor de imóveis é imprescindível para uma transação imobiliária, não falamos apenas em defesa do comprador e do vendedor. Até mesmo por conta de que talvez o vendedor não tenha agido de má fé e apenas desconhecesse a necessidade da escritura na hora da venda do imóvel. Porém, o corretor de imóveis teria identificado o problema e entraria em negociação com ambas as partes sobre o assunto – pois gera custos e afins.

Talvez o terreno em questão nem pudesse ser vendido, mesmo com escritura, pois poderia se tratar de um imóvel dos pais do “vendedor” mas que não teve a partilha efetuada entre os herdeiros. Ou que o vendedor tivesse o imóvel dado como garantia em um empréstimo. São muitos os motivos e detalhes que, muitas vezes, são resolvidos em poucos dias ou semanas, e que evitam danos financeiros e emocionais.

 

Por isto, pense duas vezes antes de comprar ou vender sem um corretor de imóveis intermediando. O barato pode sair muito caro! E exija que o corretor esteja inscrito no CRECI, que é a entidade que regulamenta a profissão assim como a OAB o faz com advogados e a CRM para médicos.