Fundos imobiliários caem forte na Bolsa com possível fim de isenção de IR

SÃO PAULO, que entre os artigos da MP está o fim da isenção de IR para os rendimentos de fundos imobiliários, – Os fundos imobiliários enfrentaram um dia de forte baixa na BM&FBovespa após a informação de que a delegação Mista da Congresso, que analisa a medida provisória 694, pode colocar o assunto em eleição nesta quarta-feira .

O analista também recordou que assim como os fundos imobiliários, outros investimentos isentos podem passar a ser tributados, e as aplicações como CDB, Tesouro Direto e outras aplicações de renda fixa podem ter ampliação de alíquota. “Se aprovada, a MP vai ter efeito em todos os ativos, não só nos FIIs.”SÃO PAULO – Os fundos imobiliários inscreveram alta no pregão desta quinta-feira , após a delegação Mista da Congresso que analisa a medida provisória 694 decidir que só analisará o texto exibido pelo relator, o senador Romero Jucá , em fevereiro.SÃO PAULO – Os fundos imobiliários estão com custo interessante, na opinião de Augusto Martins, sócio da área de investimentos imobiliários da Rio Bravo Investimentos. Segundo dados da BM&FBovespa, o valor do patrimônio dos fundos listados era de R$ 35,8 bilhões em janeiro deste ano. Já o custo dos cotas negociados na Bolsa estava em R$ 23,6 bilhões, o que menciona um desconto de 34%. “Acho esse número bastante alto. Especialmente acredito que o custo hoje é atrativo”, declara Martins.

O Ifix fechou em queda de 4,84% aos 1.371 pontos. O Ifix é índice de fundos imobiliários da Bovespa. As cotas do fundo BTG Pactual Corporate Office Fund , conhecido como BC Fund, que é o maior fundo imobiliário da Bolsa, recuaram 5,62% a R$ 94.

A MP original, que tinha quatro artigos, ficou com mais de 40 no substitutivo do relator, o senador Romero Jucá . Os fundos imobiliários que distribuem rendimentos mensais passariam a ter cobrança de 17,5% de IR sobre os aluguéis distribuídos. Veja nesta matéria todas as mudanças que podem ocorrer nos investimentos

Parizzi realçou que a eleição da MP 694 tem que ser protelada para 2016 e o texto ainda pode ser transformado. “Também há dúvidas sobre a partir de quando as possíveis mudanças começariam a valer. Então é preciso aguardar para avaliar melhor os efeitos”, declarou.