Novas normas de financiamento de imóveis facilitam, mas tome cuidado

SÃO PAULO – A partir do final deste mês, a Caixa Econômica Federal passa a permitir o financiamento de até 70% do valor de imóveis utilizados, para o setor privado, e de até 80% para o setor público – os números estavam em 50% e 60%.

De acordo com a pesquisa, referente ao primeiro trimestre de 2016, os imóveis comerciais de alto padrão em São Paulo,encarnamm 2.28 milhões de metros quadrados etêmm valor médio de R$ 99,30/m2. Desse total, 22,05% estão desocupados. “Existe um excesso de escritórios que foram entregues nos últimos anos. Se não houvesse a crise generalizada da economia, mesmo os escritórios estariam padecendo, pois não existem tantas companhias para o tamanho de mercado que se existe atualmente. Hoje a região mais ofertada é a da Berrini”, explica Nicastro.Já no Rio de Janeiro, Nicastro alega que os imóveis comerciais de alto padrão sofreram com a crise no mercado de petróleo e gás, o que ampliou a vacância dos escritórios, chegando a 25,21% de acordo com o relatório. “O mercado do Rio de Janeiro vai demorar 10 anos ou mais para se recuperar, se não bastasse a crise do setor de óleo e gás, existem ainda mais de 1 MM de m² de projetos aprovados para serem entregues”, diz o executivo.

Bebida com objetivo de reaquecer o mercado imobiliário, que vem passando por queda de vendas e nos novos lançamentos, a medida vale para imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação .

Que os brasileiros percam o foco no planejamento financeiro, declarou o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, apesar de positiva para o comprador, a medida não pode fazer com. “É ótimo poder financiar a maior parte, mas é de extremo protagonismo que não se deixe levar pela ansiedade e impulsividade. É preciso analisar minuciosamente as finanças, fazer simulações, etc.”, alega, em nota.

Sistema eletrônico

Até o dia 30 de junho, todos os estados brasileiros também terão que ter adotado uma medida que ampliará a velocidade desses financiamentos, juntando processos em uma plataforma eletrônica. Se arremessou a plataforma em esta quinta-feira, para todos os cartórios de Belo Horizonte.

Ainda de acordo com Reinaldo, a pressa é prejudicial, mesmo com tantas facilidades. “Não estamos falando de uma peça de roupa em promoção. O momento exige educação financeira, para comportar-se com consciência e sustentabilidade. A melhor opção sempre é poupar antes e gastar depois”, adverte.

O método do editor-chefe do InfoMoney para economizar